Quais são os sinais de problemas no amortecedor?

Durante os dias de uso, o motorista é quem terá condições de identificar se estão ocorrendo falhas ou anormalidades ligadas ao amortecedor. No entanto, alguns sinais são muito específicos para apontar os problemas nessa peça. Lembrando que ela é indispensável para garantir não só a segurança, mas o conforto, e, principalmente, a estabilidade do carro.

Portanto, esse componente do veículo merece a atenção na hora de fazer um check-up para pegar estrada e nas revisões periódicas. O amortecedor é responsável por manter o pneu em contato com o solo e frear os movimentos indesejados da carroceria do veículo.

Por isso, a manutenção dessa peça é fundamental para garantir uma direção segura  seja na cidade ou na estrada. Na prática, não existe uma quilometragem específica para substituição dos amortecedores. Isso porque sua vida útil pode ser maior ou menor, dependendo do regime de trabalho que o veículo é submetido. Outra variável importante é a maneira como o motorista conduz o veículo. Daí a importância de inspeções periódicas feitas por profissionais habilitados.

Quais são os defeitos mais comuns do amortecedor?

Para orientar os seus clientes, é importante que você faça uma lista objetiva de quais são os sinais de desgaste na peça:

  • vazamento de óleo, o tubo do amortecedor fica manchado;
  • a suspensão parece ficar mais leve e solta;
  • a haste do amortecedor pode travar, fazendo com que reduza o movimento de subir e baixar o carro;
  • balanço excessivo da carroceria em freadas e aceleração;
  • o amortecedor faz barulhos, principalmente em lombadas ou buracos;
  • desgaste escamado dos pneus devido a falta de contato permanente com o solo.

Quais são os cuidados preventivos para os amortecedores?

Que ter as manutenções em dia e cuidado durante a direção é essencial para aumentar a vida útil dos amortecedores nós já sabemos. Mas, na prática, como fazer isso durante a rotina agitada? Separamos aqui algumas dicas que você possa passar para seus clientes para manter essa peça com um bom funcionamento. Confira!

Alinhamento e balanceamento

A direção do veículo precisa estar com o alinhamento em dia e as rodas balanceadas. Quando isso não acontece, todo o conjunto da suspensão, direção e pneus sofre para manter o veículo na pista.

Então, é importante que o motorista tenha o hábito de calibrar os pneus com frequência e, principalmente, sempre que sentir alguma irregularidade, fazer um novo alinhamento. Além disso, o motorista precisa ficar atento caso venha a bater as rodas no meio fio ou tiver algum impacto maior das rodas em algum obstáculo. Nestes casos, é importante procurar uma oficina para verificar se houve perda do balanceamento e fazer o alinhamento perfeito dos eixos do veículo.

Evite ruas esburacadas

Nem sempre é possível dirigir em ruas e estradas que tenham sido projetadas com o asfalto regular. No entanto, sempre que possível, evite estradas de chão, que tenham muitos obstáculos como pedras e buracos.

Essa diferença de circulação no terreno para as rodas, costuma fazer uma pressão desproporcional nos eixos, podendo afetar diretamente o amortecedor do seu carro.

Não ultrapasse o limite de peso

Leia atentamente o manual de utilização do seu veículo para entender o número de ocupantes determinados e, principalmente, a carga máxima que pode ser transportada.

Lembre-se de fazer a troca da pressão dos pneus quando for rodar com o carro mais cheio ou mais vazio. Evite usar o carro de passeio como veículo de carga. Isso porque essa ação pode danificar muito o sistema de suspensão que foi projetado para suportar um limite máximo de peso para a circulação.

Cuidado com as lombadas

Evite passar em alta velocidade pelas lombadas. Ao mesmo tempo, evite fazer a frenagem quando estiver passando pelo obstáculo. Tudo isso interfere diretamente na vida útil do amortecedor pelo impacto que promove na peça.

O ideal é fazer a frenagem antes de passar o obstáculo e, caso você não tenha visto a lombada, deixe que o carro passo livremente pela barreira. Evite também passar em lombadas com duas rodas, assim você aumentará a solicitação e os danos sobre o amortecedor.

Não mexa na suspensão

Rebaixar a suspensão do seu veículo pode ser um grande problema para o amortecedor. Portanto, se você quer fazer essa modificação no carro, é melhor utilizar as peças adequadas para esse propósito. Se o carro estiver muito alto ou muito baixo as peças da suspensão demandarão um esforço maior para estabilizar o seu veículo.

Faça a manutenção preventiva

Não esqueça de fazer revisões periódicas anuais ou a cada 10.000 quilômetros percorridos com o veículo.. No entanto, a cada manutenção é importante que o mecânico revise o sistema de suspensão. Ações como essas podem prolongar a necessidade de troca do amortecedor.

Qual é a importância de não recondicionar os amortecedores?

É sempre bom reforçar que se for substituir a peça, o correto é usar um amortecedor confiável. É importante que você use peças novas e que estejam em conformidade com a marca e modelo do seu veículo.

Talvez você não saiba, mas não é difícil encontrar amortecedores recondicionados no mercado, que, na verdade, são peças usadas e que foram descartadas de outros veículos. Essas peças são pintadas novamente, é feita a troca do fluido e são recolocadas no mercado a preço muito inferior dos praticados para amortecedores novos. Porém, os recondicionados oferecem riscos Por isso, verifique sempre a procedência.

Quais são os cuidados na hora da troca de amortecedor?

Na hora de realizar a manutenção e troca de peças dos veículos é importante fazer a verificação do sistema de suspensão como um todo. Quando houver a indicação de substituição da peça, o proprietário deve ser orientado a comprar peças novas. E, claro, lembrar de seguir as especificações técnicas do fabricante. No entanto, o mais indicado na hora da troca é optar por um amortecedor novo para garantir a estabilidade e a segurança do seu veículo.

Vale a pena ressaltar que o mecânico é que trará a confiança ao cliente quanto às peças que devem ser utilizadas e, principalmente, sobre a real necessidade da troca. Isso é importante porque nem todos os motoristas estão atentos aos sinais que o veículo dá quando existe um problema. Inclusive. Muitos só percebem que algo está errado na hora da revisão ou quando ocorre a quebra da peça.

Esse conteúdo foi útil para você? Então, aproveite e compartilhe este post nas redes sociais para que os seus clientes saibam como cuidador dos seus veículos!